Marvel’s Avengers: Primeiras Impressões – E3 2019

A Square Enix mostrou o antecipado Marvel’s Avengers com um trailer a que se seguiu uma breve apresentação com os produtores da Crystal Dynamics, na E3 2019 (no topo da página).

Durante o trailer foi exibido algum gameplay, no entanto, mais tarde o IGN teve direito a uma sessão privada de 25 minutos, onde foi possível ficar com uma ideia bem mais clara do estado do jogo e da intenção dos produtores para o seu futuro.

A demo começou da mesma forma do trailer, com o ataque à Golden Gate Bridge durante as celebrações do A-Day. Não nos disseram se esta era a abertura do jogo, mas podemos assumir que andará muito perto disso. Parecia um segmento tutorial, que nos coloca no controlo dos vários personagens. O gameplay troca automaticamente de um Vingador para o outro dependendo dos eventos da história.

O Gameplay com Thor em Marvel’s Avengers

O Deus do Trovão é o primeiro dos heróis que controlas, aterrando na ponte para combater um monte de mercenários armados. O seu estilo de combate recorda-nos Kratos no último God of War, arremessando o seu martelo, trocando golpes corpo-a-corpo e depois invocando novamente o martelo a meio do combo para manter o ritmo da dor e dos trovões.

Thor parece ser um verdadeiro monstro, com uma enorme variedade de habilidades…

Uma breve pausa na ação dá tempo para que Thor salve um civil encurralado debaixo de um autocarro, sendo que ao mesmo tempo que o faz exclama algo como: “Não temas, pois eu sou poderoso.” A certa altura entram em cena alguns inimigos equipados com escudos e Thor desfere-lhes uma habilidade especial, uma enorme onda de choque que derruba todos à sua frente. A cereja no topo do bolo surge quando canaliza uma enorme quantidade de energia – como em Ragnarok – e derruba um monte de oponentes com relâmpagos a percorrer o seu corpo e em direção aos céus.

Thor parece ser um verdadeiro monstro, com uma enorme variedade de habilidades que incluem uma satisfatória utilização do Mjolnir e a sua imensa força (vale a pena salientar que não ficou claro se esta versão de Thor consegue voar).

O Gameplay com o Homem de Ferro em Marvel’s Avengers

Já o Homem de Ferro é capaz de voar… mais ou menos.

O gameplay transita para o Homem de Ferro e és imediatamente colocado “on rails”, em perseguição de inimigos equipados com jetpacks. Digamos que não é a mais emocionante das formas de controlar o Vingador.

É então que o herói aterra e participa em confrontos em terra, atirando rockets e trocando socos e pontapés. Mais tarde os seus propulsores atiram-no novamente para o ar em direção a um gunner que estava estacionado no topo de um autocarro, mantendo-se depois no ar para acabar com os inimigos que sobram. A sua grande habilidade passa por descarregar uma rajada singular a partir do peito.

Mesmo com todas as brincadeiras, lasers e rockets à disposição, o gameplay do Homem de Ferro pareceu o mais restrito do grupo.

O Gameplay com Hulk em Marvel’s Avengers

A certa altura, enormes canhões emergem de veículos inimigos e arrasam com o Homem de Ferro. Para lidar com todo aquele poder de fogo, Bruce Banner salta da nave e aterra já como o gigante dos raios gama. O gameplay de Hulk tem menos a ver com combos e mais com a agressividade com que despacha os inimigos como se de bonecos se tratassem. É inclusive capaz de pegar neles e usá-los como armas melee ou projécteis.

O movimento de Hulk no entanto, é todo ele centrado em impulsos. À medida que a ponte começa a ruir, Hulk é obrigado a saltar de uma plataforma para outra, correndo ocasionalmente pelas paredes, ganhando velocidade para lançar-se depois mais longe pelo ar – culminando com a aterragem num grupo de inimigos com um estrondoso “SMASH”.

O segmento de foi aquele que transmitiu a maior sensação de diversão, como um Prince of Persia jogado ao comando de um gigantesco monte verde.

O Gameplay com o Capitão América em Marvel’s Avengers

O setting da demo passa então para o Helicarrier, onde o Capitão América é atacado por mais um grupo de mercenários. O seu combate é semelhante ao sistema dos jogos Batman Arkham, ou mesmo Spider-Man da PS4, com imensos ataques rápidos que o colocam a trocar de adversário, atirar o escudo e evitar investidas, aquilo que não conseguimos perceber foi como o escudo viaja de volta para as mãos do Cap.

Entra em cena um novo grupo de inimigos com escudos, mas o Cap livra-se rapidamente deles. Este é um momento chave que procura ilustrar como diferentes heróis lidam com diferentes tipos de inimigos – mas estes não se revelaram mais difíceis para o Cap do que foram antes para Thor.

O Gameplay com Black Widow em Marvel’s Avengers

A parte final da demo tem Black Widow a confrontar o boss final, Taskmaster. Arranca com ela a saltar para cima do vilão, caindo numa vertigem à medida que a ponte começa a explodir e o caos força os restantes Vingadores a surgir à última hora para apanhar um autocarro repleto de pessoas, evitando o desastre. Tudo isto, ao mesmo tempo que um quick-time event vê Black Widow a castigar Taskmaster ao mesmo tempo que evita os seus ataques.

Este foi o momento “Battle of New York” onde a maioria dos Vingadores podem ser vistos em ação num único shot, passando a ideia que jogar Marvel’s Avengers será como ver um filme dos Vingadores. Dito isto, em vez deste segmento acontecer organicamente através do gameplay, funciona mais como uma viagem programada, onde ocasionalmente pressionas um botão.

Momento “Battle of New York”, onde os Vingadores podem ser vistos em ação num único shot…

Depois de chegar a uma zona em ruínas, Black Widow tem de derrotar o Taskmaster evitando os seus ataques e respondendo com uns golpes de artes marciais, bastões electrificados e um par de pistolas. É ainda capaz de fazer o seu golpe clássico de enrolar as pernas à volta do pescoço do vilão, atirando-o ao chão com naturalidade. Taskmaster é capaz de copiar e contrariar qualquer golpe que vê, mas Black Widow acaba por usar a furtividade para se esgueirar por detrás dele e terminar o serviço — não podes copiar aquilo que não consegues ver!

Depois de ver alguém a jogar com os Vingadores mais poderosos, com recurso a um arsenal de habilidades loucas, foi um pouco anti-climático terminar com uma heroína que é basicamente uma pessoa normal – mesmo sendo tão cool como Natasha.

Considerações Gerais sobre Marvel’s Avengers

Embora não tivéssemos jogado, Marvel’s Avengers parece claramente capaz de cumprir a fantasia de nos colocar a combater o mal com os mais icónicos dos Vingadores. Tens os movimentos clássicos e podes testemunha-los sendo executados de modo verdadeiramente cinemático.

diálogos entre a equipa nunca se revelaram particularmente divertidos ou memoráveis…

Embora os gráficos durante os combates tivessem claros, as breves cutscenes não pareceram tão polidas — o cabelo de Thor era especialmente estranho a esvoaçar ao vento — e os diálogos entre a equipa nunca se revelaram particularmente divertidos ou memoráveis. Thor, em particular, parece imitar o Chris Hemsworth original, antes da maravilhosa reinvenção do personagem em Ragnarok. Claro que tudo isto é apenas uma demo de um jogo em desenvolvimento, que será lançado daqui a pouco menos de um ano, existe imenso tempo para limar estas coisas.

Thor, Hulk e Homem de Ferro são distintos e parecem personagens de jogos diferentes, no entanto, Cap e Black Widow são um pouco mais similares, recorrendo ao corpo-a-corpo sem qualquer poder especial que os destaque. Foi ainda assim agradável ver os Vingadores a responder ao ataque de um super-vilão, fazendo aquilo que fazem melhor.

Não nos avançaram detalhes sobre o tipo de jogo que será depois deste segmento da demo, teremos de esperar por mais novidades sobre a progressão, personalização e outros elementos. No que diz respeito à demo, o gameplay parece sólido, apesar de algumas imperfeições.


Adaptado por Aníbal Gonçalves, mais um tipo desinteressante, que tem a sorte de ser apaixonado por coisas super interessantes. Podes segui-lo em @Darthyo

Share

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *